domingo, 19 de dezembro de 2010

O interrogatório... (The interrogation ...)


"Assim que saímos da casa, parecia que tinha esquecido algo, deixado alguma coisa em cima do criado-mudo. Continuei a dirigir, tempo por tempo, mudo.
Atordoado, torto e com a insegurança de causar inveja. Não era nossa hora talvez nunca fosse naquele dia. Tudo aconteceu rápido, a vida não esperou a mordida, pior; engolimos dez sapos.
Somos o cavalo do xadrez. Sempre movendo-se torto.Três casas pra frente e uma para esquerda...
Sozinho e com frio, notei com clareza que encaram o mundo num plano simplório onde sapatos estúpidos dizem muito mais que qualquer experiência vivida.
Engoli minhas palavras e continuei a dirigir por nós...
- Alguém viu meu isqueiro?"








Jorge Ben - Jovem Samba

The interrogation ...

"So we left the house, seemed to have forgotten something, left something on top of thenightstand. I continued to drive, long time, speechless.
Stunned, bent and with the insecurity of envy. It was not our time may never be that day.Everything happened fast, life does not wait for the bite, worse, swallow ten frogs.
We are the horse of chess. Always moving forward torto.Três homes and left ...
Alone and cold, I saw clearly that see the world in a plane where shoes stupid simpletonspeak louder than any experience.
I swallowed my words and continued to drive for us ...
- Has anyone seen my lighter? "

2 comentários:

  1. Acho que nem no dia do parto eu vou ter tanto medo quanto o que eu senti no dia do nosso interrogatório rsrsrs

    ResponderExcluir